90 minutos a olhar para Messi. À espera de uma arrancada mágica onde deixa adversários para trás como se não fossem nada. À espera daquele remate colocado, mesmo tendo muitos jogadores pela frente. Ou daquele bailar mágico onde ´entorta` um adversário só com um movimento de corpo. Aquela bola no meio das pernas de quem ousa enfrenta-lo no ´um-contra-um`. Aquele passe teleguiado, com coordenadas certas para a entrada de Súarez ou... Jordi Alba. Aquele bailado onde, cercado por quatro ou cinco, consegue arranjar espaço para sair da ´cabine telefónica` com a bola dominada e cabeça levantada, prestes a deixar alguém na ´cara do golo`.

Metia medo... mas Jesus soube como para-lo

Os quase 49 mil adeptos do Sporting que estiveram em Alvalade temiam isto e muito mais. Que não houvesse Sporting suficiente para travar um dos melhores jogadores de sempre. Um dos poucos capazes de resolver uma partida num ´piscar de olhos`. Mas Messi o ´extraterrestre` não apareceu. O craque teve uma exibição muito abaixo dos seus pergaminhos e quase não se viu. Quase. Porque apareceu. Mas pouco.

A boa organização defensiva e a forma como Jesus montou a equipa para anular os espaços onde costuma aparecer (quando Messi baixava no terreno, era Battaglia quem o vigiava, quando ficava mais perto do ataque do Barça, tinha a companhia de Mathieu) roubaram o protagonismo a Messi, que pouco se viu. Mesmo assim mostrou o que vale, com excelentes pormenores técnicos, passes teleguiados e arrancadas que só ele sabe fazer. Viu Coentrão, no primeiro tempo, e Mathieu, no segundo, roubarem-lhe o golo em duas ocasiões. O golo dos blaugrana sai dos seus pés, num livre para a área que Coates introduziu na própria baliza.

Durante 90 minutos, Messi foi um comum mortal no palco de Alvalade. Mesmo assim conseguiu que lhe beijassem os pés, numa noite para nunca mais esquecer de um adepto: entrou em campo, abraçou o seu ídolo, trocou algumas palavras com ele, beijou-lhes os pés mágicos e saiu escoltado pelos seguranças. Tudo pacífico. Momento aproveitado pelos adeptos do Sporting para cantar ´Cristiano Ronaldo`, o rival de Messi nos prémios de Melhor do Mundo nos últimos anos.

90 minutos a olhar para Messi

17 minutos: recua, recebe e lança Jordi Alba que cruza para Suárez falhar o golo.

18` Aproveita um lance de Iniesta e simulação de Suárez para rematar fraco, para defesa de Rui Patrício.

22` Iniesta insiste, mete em Jordi Alba, que cruza atrasado para Suárez. O uruguaio centra para Messi rematar de cabeça ao segundo poste, Patrício defende.

24` Iniesta com a bola, Messi na zona central, espera, a ver o que faz o 8. É Suárez quem sai para receber e tabelar com Iniesta, já com Messi a atacar a zona de finalização.

35` Livre teleguiado de Messi, Umtiti ganha de cabeça e Suárez, por pouco, não faz golo. Mathieu consegue o desvio na hora certa.

41` Messi ganha a William, acelera, aguenta carga de Battalgia, finta o médio leonino, passa a Rakitic que tenta servir Suárez de primeira. Lance fica na defesa do Sporting.

42` Recebe na área, ´senta` Coates com uma finta de corpo e remata de pé direito, para corte previdencial de Coentrão.

46` Aparece mais recuado no segundo tempo, tentando lançar os colegas. É Busquets quem está mais perto, que lhe serve de ´âncora`

48` Marca o livre que Suárez desvia para o corpo de Coates, que assim faz autogolo.

56` Suares ganha a Coates, lança de trivela para Messi que domina, mas, na hora de rematar, aparece Mathieu a fazer um corte espetacular.

65` Livre direto descaído para a esquerda, remate ligeiramente por cima

69` Recua, recebe, vê a equipa no seu meio-campo, trava o jogo, pausa, joga curto, deixa a equipa respirar, dá tempo aos jogadores de se reposicionarem.

74` Sporting em ataque, Messi quase sempre sozinho no lado direito, sempre longe da confusão, longe da marcação. No momento certo, recua para receber e fazer jogo.

77` William recebe, rodopia e vira-se para o lado contrário para lançar o ataque, mas Messi dá dois passos para a frente e corta a linha de passe para dois jogadores do Sporting. No movimento, acaba por criar dúvida no médio leonino que não arrisca o passe numa zona onde está Messi.

89` Adepto entra em campo, abraça o craque e beija-lhe os pés. Adeptos do Sporting aproveitam para cantar o nome de Cristiano Ronaldo.

90+4` Final do jogo. Recebe um cumprimento especial dos conterrâneos Acuña e Battaglia. É cumprimento por mais jogadores, adversários e colegas, e também por alguns elementos do staff técnico do Sporting.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.