A seleção de Portugal venceu esta quinta-feira a Polónia, em Chorzow, por 3-2 e conseguiu a segunda vitória seguida na Liga das Nações, no terceiro encontro do Grupo 3 da competição. A equipa da casa abriu o marcador aos 18 minutos por Krzysztof Piatek, aos 18 minutos. Portugal marcou três golos de seguida por André Silva, aos 31, Kamil Glik, na própria baliza, aos 43, e Bernardo Silva, aos 52, mas a Polónia voltaria a marcar aos 77 por intermédio de  Jakub Blaszczykowski.

Em relação ao jogo com a Itália no Estádio da Luz, o encontro de estreia nesta competição, registou-se apenas uma mudança na equipa inicial escolhida por Fernando Santos. Rafa Silva entrou para o lugar de Bruma devido a um problema intestinal do jogador do RB Leipzig.

O jogador do Benfica nunca tinha alinhado de início num jogo oficial e só havia participado num, a 18 de junho de 2016, quando, na fase final do Europeu, entrou aos 89 minutos para o lugar de Nani, no empate a zero com a Áustria, em Paris.

O encontro começou muito movimentado na parte inicial e o primeiro lance de perigo da partida surgiu aos seis minutos do encontro para a equipa da casa. Kurzawa bateu um livre na direita e Glik apareceu para o desvio junto ao segundo poste, com a bola a passar perto da baliza de Rui Patrício.

A resposta da Seleção Nacional apareceu poucos minutos depois. Pizzi bateu um canto curto na esquerda, Mário Rui recebeu o passe e cruzou para o primeiro poste onde André Silva tentou o desvio de calcanhar, mas a bola passou por cima.

A Polónia mostrava-se mais aguerrida no ataque e acabou por conseguir inaugurar o marcador aos 18 minutos de jogo. Canto batido por Kurzawa para o segundo poste e o jovem avançado, ao segundo jogo pela equipa principal polaca, apareceu solto a cabecear para o fundo das redes portuguesas. Rui Patrício ficou a reclamar uma obstrução de Robert Lewandowski, mas o árbitro nada assinalou.

Os campeões europeus não acusaram o golo sofrido e podiam ter empatado em duas ocasiões quase de seguida. Primeiro por João Cancelo que atirou um pouco ao lado da baliza defendida por Fabianski. De seguida, a equipa de arbitragem anulou um lance a Portugal que terminou com a bola no fundo das redes polacas. Rafa Silva ultrapassou o guarda-redes e rematou para a baliza deserta, mas a jogada foi anulada por fora de jogo do jogador do Benfica.

O empate apareceu à passagem dos 32 minutos numa jogada muito bem desenhada pela equipa das quinas. Cancelo lançou Pizzi para a linha de fundo com um passe em rotura, e o médio do Benfica cruzou tenso para André Silva marcar o 14.º golo com a camisola da Seleção Nacional.

No seguimento do empate, a equipa de Fernando Santos continuou por cima na partida e dispôs de duas oportunidades para completar a reviravolta no marcador. Primeiro por Pizzi que em zona frontal rematou à figura de Fabianski, e depois por Rafa Silva que também atirou para defesa do guardião polaco.

Portugal dominava a partida e foi com facilidade e também alguma passividade da defesa da Polónia que conseguiu dar a volta ao marcador aos 43 minutos. Passe soberbo de 50 metros de Rúben Neves a desmarcar Rafa Silva que tirou Fabianski do caminho e Glik, na tentativa de cortar a bola, marcou na própria baliza.

A segunda parte começou em tudo semelhante à primeira e a Polónia foi a primeira equipa a mostrar que estava lá para chegar ao empate. Zieliński teve muito espaço no centro do terreno, e atirou forte e colocado, com a bola a passar muito perto do poste esquerdo de Rui Patrício.

No entanto, a Seleção portuguesa mostrou-se mais eficaz e ampliou a vantagem aos 52 minutos por Bernardo Silva.O médio-ofensivo construiu uma jogada individual da direita para a zona central, ultrapassando vários adversários que foram incapazes de bloquear o remate colocado do jogador do Manchester City.

O selecionador da Polónia não estava a gostar da exibição da sua equipa e operou uma dupla alteração que mudou o rendimento dos polacos. A equipa da Europa Central tornou-se mais perigosa e criou várias oportunidades até conseguir reduzir a desvantagem aos 77 minutos.

Sucessão de erros da equipa portuguesa, com Bereszynski a ultrapassar Mário Rui sobre a direita, o defesa polaco cruza tenso, Pepe corta, mas a bola sobra para Błaszczykowski que atirou forte e colocado, de fora da área, sem hipótese para Rui Patrício.

Portugal podia ter resolvido a partida aos 84 minutos por intermédio de Renato Sanches. Jogada brilhante de André Silva ao isolar Renato Sanches, mas depois de contornar Fabianski, o médio atirou contra as pernas de Kędziora.

E quando há um desperdício, há dois. Acabado de entrar nos primeiros minutos dos descontos Bruno Fernandes recebeu um passe de André Silva em posição frontal, mas atirou por cima da baliza de Fabianski.

A equipa portuguesa volta a jogar para esta competição a 17 de novembro, em Itália, sem Pepe, que hoje viu o segundo amarelo em dois jogos, mas pode assegurar a presença nas meias-finais desta nova competição da UEFA já no domingo, se a Polónia e a Itália voltarem a empatar, em Chorzow.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.