A Inglaterra quer dar a melhor sequência ao excelente desempenho no Mundial2018 na primeira 'final four' da Liga das Nações de futebol onde procura a sua primeira conquista na Europa num ano em que as finais das principais provas europeias de clubes da UEFA foram dominadas por clubes ingleses.

Campeã mundial em casa em 1966, no ano em que o 'rei' Eusébio encantou as terras de 'sua majestade', a formação inglesa nunca foi feliz no campeonato da Europa, não contando sequer uma final, mas pode agora 'brilhar' na nova competição criada pela UEFA.

Sob o comando de Gareth Southgate desde setembro de 2016 (estreou-se com um 2-0 a Malta, em 08 de outubro de 2016), a seleção dos 'três leões' conseguiu o apuramento para o Mundial2018 e ficou no quarto lugar, repetindo o registo do Mundial de 1990 em Itália.

Na Rússia, os ingleses passaram a primeira fase em dois jogos, ao baterem Tunísia e Panamá, perderam, depois, com a Bélgica o primeiro lugar do Grupo G, e chegaram às meias-finais ao afastarem Colômbia, nos penáltis, e Suécia.

Perante a Croácia, nas meias-finais, Trippier ainda adiantou a Inglaterra, mas Perisic empatou e, no prolongamento, um golo de Mandzukic atirou os ingleses para o jogo do 'bronze', que perderam no reencontro com os belgas (2-0).

O balanço foi claramente positivo e os ingleses partiram confiantes para a Liga das Nações, que não começaram da melhor forma, ao perderem por 2-1 na receção à Espanha. Rashford ainda adiantou os locais, mas Saúl e Rodrigo deram a volta.

Na segunda ronda, os ingleses deslocaram-se à Croácia e empataram 0-0, para darem, em seguida, um passo de gigante rumo a Portugal, com um triunfo por 3-2 em Espanha, selado com um 'bis' de Sterling e mais um tento de Rashford.

A fechar, a Inglaterra precisava de bater a Croácia, em casa, em mais uma reedição das meias-finais do Mundial2018, e consegui-o, com golos 'tardios' de Lingard e Kane, este último aos 85 minutos, depois de Kramaric adiantar os forasteiros.

Os ingleses, que, entretanto, tiveram um início 'arrasador' na corrida ao Euro2020 (5-0 à República Checa e 5-1 no Montenegro), chegam com grandes ambições, moralizados e uma equipa estabilizada, compacta e muito difícil de bater.

Nos quatro jogos da Liga das Nações, Southgate não mudou muito as apostas do Mundial, com Pickford, Walker (Trippier) Maguire, Stones, Joe Gomez, Chilwell, Dier, Barkley, Sterling, Rashford e Kane a formarem o 'onze' base.

Na quinta-feira, Inglaterra e Holanda disputam o acesso à final da Liga das Nações num 'reencontro' de seleções históricas agendado para as 19h45 no Estádio D. Afonso Henriques.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.