O juiz encarregue de julgar em Espanha o avançado Neymar pelas irregularidades na sua transferência do Santos para o Barcelona acredita que o brasileiro poderá ser condenado a até seis anos de prisão, informaram nesta quarta-feira fontes judiciais próximas do caso.

Neymar, os seus pais, o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e seu antecessor, Sandro Rosell, vão ser julgados em Espanha por fraude.

O caso resultou de uma denúncia do grupo brasileiro DIS, ex-dono de parte dos direitos federativos do jogador, que considera ter sido prejudicado na transferência de Neymar do Santos para o Barcelona.

Nesta quarta-feira, o juiz José María Vázquez Honrubia considerou que a acusação feita pelo fundo DIS pelo delito de "fraude" pode acarretar "de quatro a seis anos de prisão" para Neymar, segundo um relatório do magistrado ao qual a AFP teve acesso nesta quarta-feira.

Como o jogador pode vir a ser condenado a uma sentença superior a cinco anos de prisão, a legislação espanhola obriga o julgamento a ter três juízes, o que poderá atrasar ainda mais o início do mesmo, que segue sem data para começar.

O caso veio à tona depois do fundo DIS ter considerado que foi prejudicado pela venda de Neymar do Santos para o Barcelona.

Num primeiro momento, o Barcelona divulgou que a contratação de Neymar custou 57,1 milhões de euros ao clube (40 milhões para a família de Neymar e 17,1 para o Santos), mas a justiça espanhola calcula que o verdadeiro valor da transferência será de 83,3 milhões de euros.

O fundo DIS, que recebeu 6,8 milhões de euros dos 17,1 pagos ao Santos, acusa o Barcelona e Neymar de ocultarem o valor real da negociação.

O Ministério Público espanhol apresentou um pedido de dois anos de prisão para Neymar, que, em depoimento à justiça espanhola, se defendeu das acusações, afirmando que apenas se concentrava em jogar futebol e que confiava cegamente nas decisões do seu pai, que também é seu empresário.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.