O futebolista mexicano Héctor Herrera, antigo médio do FC Porto, assumiu hoje o objetivo de continuar no Atlético Madrid, apesar de ser poucas vezes utilizado como titular, e admitiu que sonha com a conquista da Liga dos Campeões.

“O meu futuro é aqui. Tenho contrato por mais uns anos [até 2022] e não penso noutra coisa senão continuar aqui”, afirmou Héctor Herrera, numa conferência de imprensa realizada através de videoconferência, após um treino da formação da Madrid.

Em 38 jogos oficiais, o médio de 30 anos, que nas duas últimas temporadas foi titular indiscutível no FC Porto, foi utilizado em 22 e em apenas 14 apareceu no ‘onze’ inicial.

“É verdade que um jogador pensa sempre em jogar, quer ser importante para a sua equipa e estar bem. Faço o possível para ser melhor e para ser opção. Agora, há coisas que não dependem de mim e tenho que respeitar. Tenho que continuar a trabalhar e a esperar pelas oportunidades, como sempre fiz na minha carreira”, disse o internacional mexicano.

Questionado sobre o regresso da Liga espanhola com encontros à porta fechada, devido à pandemia da covid-19, Herrera assumiu que será “estranho e difícil” atuar num estádio sem público, mas que o “mais importante” é voltar a jogar.

“Por mim, eu quero é que voltem os jogos. O mais rápido possível. Pode ser amanhã ou depois de amanhã. Mas, entendo que existam protocolos a seguir para encontrar o melhor para a sociedade e para todos. Que o futebol também sirva para distrair as pessoas das notícias negativas”, considerou.

Mesmo numa temporada atípica, devido à suspensão das competições por causa do novo coronavírus, Herrera admitiu que sonha com a conquista da Liga dos Campeões, algo que pode suceder ainda este ano.

“Estamos nos quartos de final depois de eliminar o atual campeão, o Liverpool. Isso não significa que já me vejo a levantar a taça. É um sonho que tenho há muito tempo e que gostaria de cumprir no Atlético Madrid. Temos que ir passo a passo”, referiu.

O mexicano abordou ainda a lesão de João Félix, seu colega de equipa, considerando que “é algo que pode acontecer a qualquer um, depois de tanto tempo sem jogar”.

“Estamos a trabalhar muito bem e essas situações acontecem. Pode acontecer a mim, mas sinceramente não estou preocupado nem é algo que me tira o sono”, concluiu.

Na última segunda-feira, o português João Félix sofreu uma entorse no joelho esquerdo de gravidade ainda desconhecida.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.