Os espanhóis do Real Madrid anunciaram na tarde desta quarta-feira que chegaram a acordo com os jogadores, técnicos e funcionários do clube para uma redução de salários, de forma a controlar o impacto económico provocado pela pandemia de coronavírus, que obrigou à suspensão do campeonato espanhol.

Através de um comunicado divulgado no site oficial, o Real Madrid esclarece que "os jogadores e os técnicos das primeiras principais de futebol e basquetebol do Real Madrid, representados pelos respetivos capitães, junto com os principais executivos das distintas direções do clube, chegaram a acordo para reduzir voluntariamente os seus ordenados deste ano entre 10% e 20% , em função das circunstâncias que afetam a presente temporada de 2019-20".

O clube de Madrid acrescenta ainda que a decisão "adotada por jogadores, treinadores e técnicos, evita medidas traumáticas que afetariam os restantes trabalhadores, além de contribuir para os objetivos económicos da entidade, perante a quebra de bilheteira como consequência da suspensão das competências e paralisação de grande parte das atividades comerciais".

A decisão do Real Madrid surge alguns dias depois de a Comissão Delegada da La Liga ter anunciado que todos os clubes do campeonato espanhol deveriam executar um Expediente de Regulação Temporal de Emprego (ERTE) para fazer face à crise provocada pela COVID-19.

Em comunicado, a Comissão Delegada da La Liga disse tratar-se do "exercício de responsabilidade necessário para preservar um setor que representa 1,37% do PIB e emprega 185 mil pessoas" e que ajudará a "atenuar o impacto negativo que a COVID-19 está a produzir no setor".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de COVID-19, já infetou mais de 1,4 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 82 mil. Dos casos de infeção, cerca de 260 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), registaram-se 380 mortes e 13.141 casos de infeções confirmadas, dos quais 196 já recuperaram.

Espanha é o segundo país do mundo com mais casos confirmados. Esta quarta-feira, os números apontavam para 140.510 casos positivos de coronavírus e 13.798 mortes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.