Fábio Capello, um dos mais galardoados treinadores da história do futebol mundial, tem nos últimos dias sido notícia por recordar alguns capítulos da sua segunda passagem pelo Real Madrid, no fim da era dos 'galáticos', altura em que levou o clube à conquista da uma Liga espanhola.

Recentemente, o técnico italiano, entretanto reformado, reconheceu numa entrevista que Ronaldo Nazário, o 'fenômeno' brasileiro, apesar de ter sido "o maior talento" que orientou, foi o elemento que mais problemas lhe causou num balneário. Agora voltou a falar antigo avançado 'canarinho'.

"Tinha uma qualidade impressionante, mas quando o meti a jogar ao lado do Van Nistelrooy pensava que iam marcar muitos golos juntos e acabámos por perder seis jogos. A verdade é que ele estava muito gordo e não se queria controlar nem perder peso. No papel, era o melhor que se podia imaginar, mas em campo foi dos piores. O resultado não foi muito bom", recordou o treinador, agora com 73 anos, em declarações à Cadena Ser.

Capello voltou ainda ao assunto da conversa que teve com o holandês Van Nistelrooy em que este lhe terá dito que no balneário do Real Madrid cheirava a álcool. Uma conversa entretanto desmentida pelo ponta-de-lança 'laranja'. "Eu não minto e não vou inventar coisas sobre alguém que me encantou como jogador e pessoa. A mim nunca me cheirou a álcool; não vamos fazer disto algo relevante", afirmou o italiano, procurando colocar ponto final na questão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.