Um mês e meio depois da conquista do Campeonato do Mundo pela seleção francesa, Antoine Griezmann deu a primeira entrevista ao jornal 'L'Équipe' onde falou sobre o Mundial da Rússia, a Bola de Ouro e os finalistas para o prémio 'The Best' da FIFA.

Depois de vencer a Croácia, por 4-2, a França tornou-se campeã, mas para Griezmann, o momento mais marcante foi "o momento em que o troféu é levantado. Foi lindo. Acredito, de fato, que ainda não interiorizámos aquilo que aconteceu."

Quanto aos prémios, Antoine Griezmann não escondeu a surpresa por não fazer parte dos finalistas para o prémio 'The Best FIFA'. Cristiano Ronaldo, Luka Modric e Mohamed Salah foram os votados para o top 3. Mas, o jogador francês garante que 2018 foi o seu melhor ano e que merecia o lugar.

"Creio que este foi o melhor ano da minha carreira. Houve temporadas em que marquei mais golos, mas a nível de troféus coletivos foi o melhor. A França ganhou o Mundial e não há nenhum francês entre os finalistas... São escolhas, mas é algo surpreendente", afirmou Griezmann.

O internacional francês anteviu ainda os finalistas da "Bola de Ouro". "Eu mereço estar no top 3", disse Griezmann, comparando o ano 2018 com o de 2016, quando chegou aos finalistas mas ficou em terceiro lugar, depois de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. "Nesse ano eu perdi duas finais, mas este ano ganhei três, portanto..."

"Se eu não ganhar a Bola de Ouro não digo que será injusto, mas pergunto-me que mais tenho de fazer para o conseguir? Ganhei troféus, fui importante nos momentos decisivos... Mas, claro, não sou eu que voto", acrescentou ainda Antoine Griezmann.

O internacional francês venceu o Campeonato do Mundo com a seleção francesa e a Supertaça Europeia e a Liga Europa pelo Atlético de Madrid.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.