O treinador português Leonardo Jardim regressou hoje ao comando técnico do Mónaco, mas falhou a presença na final da Taça da Liga francesa de futebol, perdendo no desempate por penáltis em Guingamp na estreia de Gelson Martins.

De volta ao banco dos monegascos, que deixou em 11 de outubro, substituído por Thierry Henry, Leonardo Jardim viu a sua equipa reduzida a 10 logo aos 14 minutos, por expulsão de William Vainqueur: ainda esteve a vencer por 2-0, mas permitiu o empate 2-2 e depois cedeu nas grandes penalidades, por 5-4.

Depois de empate 3-3 na primeira série de cinco castigos máximos, Sidibé atirou à trave, ajudando a equipa de Pedro Rebocho a apurar-se para final, na qual encontrará o Estrasburgo ou o Bordéus, que se defrontam na quarta-feira.

O médio William Vainqueur, emprestado pelos turcos do Antalyasport, estreou-se da pior forma, com entrada violenta sobre um adversário, que lhe valeu a expulsão prematura, ‘decretada’ pelo vídeoárbitro, após cartão amarelo inicial.

Apenas quatro minutos depois, Gelson Martins, na área, serviu Rony Lopes, que levantou a bola e rematou de forma acrobática, colocando os visitantes na frente.

Gelson Martins foi também o autor da desmarcação do russo Aleksandr Golovin, que, aos 24 minutos, entrou na área sobre a direita e, já com pouco ângulo, atirou ao primeiro poste, com o guarda-redes a poder fazer melhor.

O Mónaco, que tinha feito dois golos em dois remates, viu o adversário marcar também na primeira vez que acertou na baliza: um erro defensivo resultou em contra-ataque em velocidade de Alexandre Mendy, que recolocou o Guingamp na discussão do resultado, aos 46 minutos.

Aos 55, Marcus Thuram evitou Gelson Martins e rematou à entrada da área, aproveitando o facto de o guarda-redes estar tapado, empatando e levando a decisão para os penáltis.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.