A Argentina, com o sportinguista Marcos Acuña a titular, venceu o México em casa na sexta-feira, por 2-0, num jogo particular disputado em Córdoba, onde o portista Jesus Corona não saiu do banco mexicano.

Na ausência de estrelas como Messi, Agüero e Di María e dos internacionais do River Plate e do Boca Juniors, concentrados na final 100% argentina da Taça Libertadores, Dybala assumiu o protagonismo, e foi dos seus pés que saiu o livre para o central Ramiro Funes Mori fazer um primeiro golo, de cabeça, aos 44 minutos.

Antes do golo, o guarda-redes mexicano Guillermo Ochoa já tinha travado um cabeceamento de Lautaro Martínez e um livre direto de Paulo Dybala, mas os primeiros sinais de perigo foram dados pelo México, quando Raúl Jiménez (ex-Benfica) atirou à barra, aos 04 minutos, e Marco Fabian obrigou Agustín Marchesin a uma defesa apertada para canto, aos 06.

Na segunda parte, não houve tantos lances perigosos, e o 2-0 aconteceu ao minuto 83, na sequência de uma jogada bem delineada pela Argentina pela direita, em que o defesa Isaac Brizuel acabou fazer um autogolo na tentativa de evitar que o cruzamento rasteiro de Renzo Saravia chegasse a Mauro Icardi.

Argentina e México voltam a encontrar-se na terça-feira para um novo particular, em Mendoza.

No Chile, a seleção local foi batida pela Costa Rica, por 3-2, e só nos últimos 20 minutos evitou uma derrota por números mais expressivos, uma vez que Kendall Waston (36 e 59) e Ronald Matarrita (64) marcaram primeiro para os visitantes, e os chilenos só depois fizeram os seus golos, por Sebastian Vegas (70) e Alexis Sánchez (90).

As Honduras, com Bryan Rochez (Nacional) a entrar na segunda parte (64), venceram em casa, por 1-0, o Panamá, que contou com Abdiel Arroyo (Santa Clara) a partir do minuto 70.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.