O selecionador português de futebol feminino quer uma resposta mais positiva por parte da seleção de Portugal no segundo jogo particular frente às campeãs mundiais, os Estados Unidos, que golearam as lusas por 4-0 no primeiro jogo.

“O grau de dificuldades vai manter-se, mas queremos evitar os mesmos erros que cometemos no primeiro jogo e procurar, enquanto equipa, crescer para dar uma resposta mais positiva do que aquela que demos”, disse Francisco Neto, que dá a receita para que essa resposta possa acontecer.

Para o selecionador nacional, quando se joga a este nível e se enfrenta as campeãs do mundo só há uma opção: “Os níveis de concentração e a capacidade de sermos coletivos, unidos e sempre disponíveis têm de estar sempre no máximo ao longo de todo o jogo.”

De resto, para Francisco Neto são estes jogos que a seleção portuguesa procura e necessita: “São estes jogos que vamos apanhar no apuramento para o Mundial com padrões de problemas diferenciados em função de cada adversário, mas foi assim que construímos este grupo, com este grau de dificuldades, e que chegámos ao Europeu, na Holanda. E é assim que vamos continuar a crescer para estarmos em Inglaterra2021.”

O segundo jogo com os Estados Unidos é o último antes do primeiro jogo oficial, contra a Albânia, a 04 de outubro, já de apuramento para o Mundial, sendo Portugal a última equipa a entrar em competição do seu grupo por força das datas definidas pela FIFA.

“Não vai ser uma viagem fácil. Temos de preparar a equipa para o padrão de problemas que a Albânia nos vai colocar e que são diferentes daqueles que vamos encontrar frente ao Estados Unidos. Mas vamos estar preparados enquanto equipa para dar a melhor resposta”, disse.

Uma das jogadoras mais experientes da seleção lusa é a benfiquista Sílvia Rebelo, que já conta com 92 internacionalizações e que foi titular no primeiro jogo frente aos Estados Unidos na passada quinta-feira.

“Estamos motivadas. Analisámos com muita atenção o primeiro jogo e já sabemos os aspetos a corrigir. Sabemos que vamos ter na terça-feira outro jogo de grande exigência. E estamos preparadas”, disse Sílvia Rebelo.

Para a jogadora lusa, a única forma de contrariar uma equipa que marcou 38 golos nos embates com Portugal é jogar com “muita concentração, competência e rigor em todos os setores e, acima de tudo, defender melhor, tendo como objetivo não sofrer golos”.

Sílvia Rebelo acredita mesmo que Portugal pode marcar pela primeira vez um golo aos Estados Unidos: “Vamos estar cem por cento concentradas e, assim que conseguirmos um espacinho, tentaremos finalizar. Acredito que temos argumentos para apanhá-las desprevenidas e fazermos o nosso primeiro golo aos Estados Unidos. Seria um momento histórico”.

O segundo jogo com os Estados Unidos está marcado para terça-feira, a partir das 19:00 locais (uma da manhã em Portugal Continental), no estádio Allianz, em Saint Paul, no Minnesota, estando já vendidos 19.700 lugares de uma lotação de 20.000.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.