Portugal falhou a revalidação do título europeu de sub-19, este sábado, ao perder na final diante da Espanha, por 2-0. Ferrán Torres apontou os dois golos que selaram o triunfo dos espanhóis, que assim conquistam o 11.º título europeu de juniores (oitavo no formato de sub-19), um recorde da competição.

Após um início com ritmo baixo, em que as duas equipas procuravam estudar-se, Gonçalo Ramos deixou o primeiro aviso ao minuto 11, cabeceando por cima da baliza contrária. Contudo, a equipa orientada por Filipe Ramos acabou por não conseguir contrariar a supremacia da rival ibérica.

O primeiro golo da Espanha surgiu aos 34 minutos: bom trabalho de Bryan Gil na esquerda e cruzamento para a área, Diogo Capitão desvia mal para a zona central e Ferrán Torres, com um remate à meia-volta, a abrir o marcador.

Portugal ainda tentou anular a vantagem adversária, mas Ferrán Torres, uma vez mais, voltaria a marcar aos 51 minutos: Gil solicitou Miranda na esquerda e este cruzou rasteiro para a área, com a bola a passar por vários jogadores, até chegar ao avançado, que com um remate rasteiro sentenciou a partida.

A seleção portuguesa, que disputou pela terceira vez consecutiva a final do Europeu de sub-19, falhou a revalidação do título conquistado em 2018, depois de também se ter sagrado campeã em 1961, quando a prova se designava Torneio Internacional de Juniores, e em 1994 e 1999, sob o formato de Campeonato da Europa de sub-18.

Para chegarem à final do Europeu, Portugal e Espanha integraram o mesmo Grupo A e apuraram-se para as meias-finais, então com vantagem da equipa das quinas, pela diferença entre golos marcados e sofridos.

O confronto entre as duas seleções terminou com um empate a um golo, com Juan Miranda a marcar para a Espanha, aos 41 minutos, e Fábio Vieira para Portugal, aos 49.

No percurso na fase de grupos ambas derrotaram a anfitriã Arménia e a Itália, e nas meias-finais Portugal afastou com uma goleada a República da Irlanda, por 4-0, e a Espanha venceu no desempate por grandes penalidades a França, depois de um ‘nulo’.

A seleção lusa chegou à final como a mais eficaz no Europeu, com 12 golos marcados, e a Espanha em segunda, com sete.

De referir que Gonçalo Ramos venceu o prémio de melhor marcador deste Europeu, com quatro golos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.