O Estádio da Várzea, na Cidade da Praia, vai retomar o nome do antigo futebolista Luís da Silva Bastos, confirmou hoje o presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos.

A confirmação foi feita em declarações à imprensa, à margem da inauguração hoje da penúltima fase de requalificação da parte histórica do Platô, no centro da Cidade da Praia.

A reposição do nome, segundo o edil praiense, vai acontecer este sábado, 08, durante a inauguração das obras de requalificação do Estádio Várzea.

“O mais importante é a reposição de nome para Luís Bastos, que é considerado o maior futebolista cabo-verdiano de todos os tempos. Aliás, há pessoas que defendem que só existem três melhores do mundo, Eusébio, Maradona e Luís Bastos”, observou.

Luís Bastos, considerado por muitos como o maior futebolista de sempre no país e que chegou a treinar no Sport Lisboa e Benfica, viu o Estádio da Várzea ser baptizado oficialmente com o seu nome em 1995, na gestão do então autarca Jacinto Santos.

O seu nome, que se afigurava numa placa à entrada do Estádio da Várzea foi, entretanto, retirado depois de algum tempo, por ter cumprido uma pena de prisão na cadeia central de São Martinho.

Luís Bastos faleceu em 2016, aos 75 anos, vítima de doença prolongada e deixou a sua marca ao apontar mais de 300 golos na sua carreira, tendo representado no país as equipas da Académica, Boavista, Sporting, Travadores e Vitória, todas da Cidade da Praia.

Teve ainda uma passagem pelo Benfica para treinos, em 1966, mas não chegou a jogar pela equipa de Lisboa, tendo regressado a Cabo Verde no mesmo ano, alegando dificuldades de adaptação ao país europeu e ao profissionalismo.

Nessa altura, no clube da Luz, treinado pelo húngaro Bela Guttmam, destacavam-se jogadores como Eusébio e Mário Coluna.

Luís Bastos deixou de jogar futebol aos 40 anos, no início dos anos 1980, e como treinador orientou equipas como o Desportivo de Santa Cruz, Nô Pintcha da Brava e Boavista da Praia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.