O Botafogo derrotou sábado, no estádio 5 de Julho, o Vulcânico por 3-1, no jogo mais importante da décima segunda jornada do campeonato regional de futebol do primeiro escalão, mantendo assim a liderança da prova.

O Vulcânico, que até esta jornada ainda não tinha averbado qualquer derrota (cinco vitorias e seis empates em 11 partidas), só a vitória lhe interessava para não dizer adeus ao sonho de conquistar o quarto título consecutivo, entrou melhor e dominou toda a primeira parte e muitos minutos do segundo tempo.

No primeiro quarto de hora do desafio, o Benfiquinha, como é também conhecida a equipa do Vulcânico, criou e desperdiçou três oportunidades de golo, tendo a formação do Botafogo, apenas na passagem do minuto 20, chegado com perigo a baliza de Vulcânico, num remate de Célio, que o guarda-redes Oblack defendeu com dificuldades para a linha do fundo.

Instantes depois, aos 22 minutos, Luisim “despachou” com relativa facilidade o seu marcador numa joga de insistência e isolou o seu companheiro Célio, que no duelo com o guarda-redes do Vulcânico, levou melhor e rematou colocado para o primeiro golo, dando vantagem ao Botafogo.

Ainda no primeiro tempo, Zé Batatinha, do Vulcânico, obrigou o guarda-redes Lú, do Botafogo a uma grande defesa, e, no minuto seguinte, foi Luisin, do Botafogo, a rematar com a bola a embater num adversário e sair para a linha do fundo.

Aos 30 minutos, Vulcânico teve hipótese de empatar a partida com Ká a receber no peito na área pequena, mas a rematar ao lado do poste esquerdo, desperdiçando uma soberana ocasião.

Aos 40 minutos, Zé Batatinha perdeu tempo demais a “bailar” frente ao guarda-redes do Botafogo, quando estava isolado, permitindo a defesa a dois tempos do guarda-redes Lú.

A um minuto do intervalo, o Vulcânico restabeleceu a igualdade na conversão de uma grande penalidade, por intermédio de Adérito, o melhor marcador da equipa e do regional, resultado com que terminou a primeira parte, mas não surpreendia ninguém se o Vulcânico tivesse terminado a etapa inicial a vencer por três bolas a uma.

Na segunda metade, o Vulcânico entrou a pressionar e aos seis minutos Ká, de cabeça, rematou ao lado e aos 16 foi a vez do Adérito depois de “desembaraçar” de um defensor, rematar com a bola a passar rente ao poste.

Aos 17 minutos, Kutchutcha, com apenas um minuto em campo aproveitou uma “oferta” do guarda-redes Oblack que, na tentativa de fintar o seu adversário, perdeu a bola para o jogador do Botafogo fazer o segundo golo para a sua equipa.

A partir do segundo golo o Botafogo superiorizou o Vulcânico, e, aos 22 minutos, numa jogada de triangulação envolvendo Jú, Kutchutcha e Luisim, com este último, com um toque subtil a ampliar a vantagem para a sua equipa.

O Botafogo desperdiçou ainda uma grande penalidade por intermédio de Kutchutcha, com o guarda-redes Oblack a defender o pontapé de grande penalidade, aos 39 Já do Botafogo remate ao poste, aos 43 Vavá do Vulcânico, isolado remata por cima e no último minuto o Botafogo a desperdiçar mais uma oportunidade para ampliar o marcador.

O Botafogo foi mais eficaz e concretizou as oportunidades enquanto o Vulcânico só pode queixar-se de si próprio pois os seus atacantes desperdiçaram hipóteses claras de golos em demasia e quando assim é não pode sair com a vitória.

Com este resultado, o Botafogo que há cinco temporadas não conseguia vencer o Vulcânico, conseguiu os três pontos na sua caminhada para a conquista do título regional que lhe foge há uma década.

O Vulcânico ficou assim arredado da possibilidade de revalidar o título, ficando apenas as equipas do Botafogo e Académica com esta hipótese de se sagrar campeão regional do primeiro escalão.

O árbitro da partida, Nilton Teixeira, marcou duas penalidades, uma para Vulcânico e outra para Botafogo, bem assinado e em nenhuma das situações houve protesto dos jogadores e dirigentes.

Na segunda partida, disputada no estádio 5 de Julho, a formação de Valencia, que estava proibida de perder, recebeu o No Pintcha e adiantou no marcador ainda no primeiro tempo por intermédio de Madjer, resultado com que terminou a primeira parte.

Na segunda metade o No Pintcha deu a volta ao marcador com dois golos de Piteco, ambos na conversão de grandes penalidades assinaladas pelo árbitro da partida.

No estádio municipal de Monte Pelado em Santa Catarina, no primeiro jogo, o Desportivo de Cova Figueira recebeu e goleou o Atlético dos Mosteiros por 5-0 e na segunda partida a formação de Baxada, que ocupava a ultima posição, goleou o Spartak por cinco bolas a três e subiu três posições, deixando as equipas de Valencia e Spartak nas duas últimas posições.

Resultados dos jogos da décima segunda jornada do regional de futebol do Fogo: Vulcânico 1 – Botafogo 3, Valencia 1 – No Pintcha 2, Desportivo 5 – Atlético 0 e Baxada 5 – Spartak 3. A jornada fica concluída domingo com a realização do jogo Nova Era – Académica.

A classificação do campeonato regional do primeiro escalão, apos a décima segunda jornada é liderada pelo Botafogo com 30 pontos, seguido da Académica (26) menos um jogo, Vulcânico (21), No Pintcha (18), Desportivo (16), Atlético (12), Baxada (11) Spartak e Nova Era (10), mas Nova Era tem um jogo a menos e Valência (09) pontos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.