O presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), Mário Semedo, apelou hoje a uma discussão baseada no bom senso sobre a época futebolística no país, afirmando haver algum ruído sobre a retoma da modalidade.

Mário Semedo fez esta declaração em conferência de imprensa para esclarecer o posicionamento da FCF face à retoma da época futebolística no arquipélago.

Segundo explicou, a FCF teve um encontro com o Governo para discutir a situação do futebol tendo em conta a situação epidemiológica do país.

Mário Semedo disse que a FCF tem tido comunicação permanente com todas as associações regionais de futebol dando-lhes conta de todos os passos que estavam a ser dados sobre o assunto, nomeadamente, com o ministro do Desporto, o Instituto Nacional de Saúde Pública e com a própria FIFA.

Segundo Mário Semedo, a federação nunca formalizou o cancelamento da época, clarificando que a entidade assegurou junto das associações que estavam a trabalhar numa perspectiva em termos de flexibilização desta medida, como forma de permitir que algumas regiões terminassem a época desportiva.

“A federação não impôs a retoma da prova como foi dito na comunicação social, o próprio regulamento geral da federação diz que toda a competência técnica a nível regional é conferida à associação regional de futebol.

Conforme atestou, com a resolução publicada pelo Governo, que abre possibilidade da retoma das actividades desportivas a partir de 15 de Agosto para as outras ilhas exceptuando-se a ilha de Santiago com retoma marcada para 15 de Setembro, a FCF mostrou toda a disponibilidade em prestar o apoio necessário para o cumprimento do protocolo previsto nesta resolução.

“Em querendo retomar as provas, quer dizer que será a federação a assumir todos os encargos financeiros decorrente do protocolo sanitário, que exige algum esforço financeiro”, ajuntou.

De acordo com o dirigente, o relacionamento da FCF e as associações “é muito boa”, por isso apela para que haja sempre um diálogo realista, considerando que o assunto deve ser tratado na base do bom senso.

Sobre a possibilidade de haver o campeonato nacional, Mário Semedo garantiu que caso haja campeões regionais e as condições permitirem a federação estará disponível para avaliar a possibilidade, de acordo com as orientações sanitárias.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.