O Estágio do Jogador arrancou hoje em Odivelas com 60 futebolistas desempregados inscritos e o presidente do Sindicato dos Jogadores, Joaquim Evangelista, considerou que é possível aumentar a taxa de sucesso de 59% das 16 edições anteriores.

"Desde que o sindicato lançou esta iniciativa, que tem uma vertente desportiva, mas também uma forte componente de responsabilidade social, em 965 jogadores participantes, 571 celebraram contrato no período de estágio, o que se traduz numa taxa de sucesso de 59%", lançou o responsável, sublinhando que acredita que esta taxa aumente já este ano.

Joaquim Evangelista realçou que o Estágio do Jogador, que decorre até 31 de agosto, é realizado pela primeira vez na Academia do Jogador, a "nova casa do sindicato", em Odivelas, que vai ser um espaço com as portas abertas durante todo o ano para os futebolistas desempregados treinarem e manterem a forma, de modo a poderem estar em boas condições físicas quando surgir uma oportunidade profissional.

A Academia do Jogador já tem a parte desportiva concluída, com um campo de futebol de 11 com condições idênticas às que se encontram na primeira liga, e Evangelista espera que a segunda fase, que passa pela construção de um novo piso no atual edifício, esteja concluída no início do próximo ano, tendo o projeto global um orçamento de 1,5 milhões de euros.

Na cerimónia de apresentação da 17.ª edição do Estágio do Jogador, também marcaram presença Hermínio Loureiro, vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Silas, treinador do Belenenses, SAD que é o embaixador do projeto, e Neca, antigo futebolista que vai ser o treinador principal, entre outras caras conhecidas do mundo do futebol, como João Vieira Pinto, antigo internacional português e atual diretor da FPF.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.