O defesa do Chelsea, Antonio Rudinger, afirmou que os fãs devem de reportar insultos racistas que oiçam nos estádios da Alemanha ou serão "culpados por associação", depois de dois incidentes terem ocorrido no país este mês.

"As pessoas têm de sair em defesa e reportar essas situações", disse o defesa alemão à agência SID numa entrevista em Londres.

"Não podes só virar a cara e ignorar. Isso é ser culpado por associação - é assim que vejo isso. Se alguém ao teu lado está a dizer coisas dessas, tu és cúmplice se ficas calado. Algumas pessoas parecem ser capazes de viver assim, e se esse é o caso, então já perdemos", disse.

O jogador de 26 anos fez o apelo à Liga Alemã de Futebol e à Federação Alemã para ter mão pesada sobre o racismo.

"Têm de se passar à ação, o resto não ajuda", afirmou.

Rudiger revelou ter ficado "sem palavras" quando imitações de macacos foram dirigidos a Torunarigha num jogo da Taça Alemã em Schalke, no dia 4 de fevereiro, e depois dirigidos ao defesa do Wuerzberg Kickers, Kdadwo, num jogo da terceira divisão em Munster 10 dias depois.

"Estes pobres rapazes, tenho muita pena deles", disse.

"Estive em contato com eles quando aconteceu e deixa-me tão triste".

Adeptos em Munster identificaram o responsável pelos cânticos racistas, que foi detido e levado para fora do estádio sob o cântico "Nazis Out!" [Nazis fora!].

Depois de Torunarigha ter sido vítima de abusos semelhantes, a polícia de Gelsenkirchen, bem como a Federação Alemã, abriram uma investigação.

Contudo, Rudiger "espera mais" da Liga e da Federação para que o racismo seja erradicado.

"Não é suficiente andar com cartazes ou ter os capitães a ler qualquer coisa. Está demasiado a acontecer, já está a começar na Alemanha. Eu ficava feliz se apanhassem as pessoas que fizeram isto. Ai posso dizer "ok, foi um passo em frente". Se um político faz um comunicado é tudo muito bonito, mas isso muda algo para mim? Diminui a dor que sinto? Não, lamento - nada muda", disse.

Rudiger esteve no centro das alegações da entoação de cânticos racistas durante a vitória de 2-0 do Chelsea no terreno do Tottenham, no passado mês de dezembro, mas um investigação levada a cabo pela policia não entrou evidências de racismo contra ele.

Ele afirma ter experienciado cânticos racistas cedo na sua carreira, enquanto jogador da equipa de reservas do Estugarda em Jena no este da Alemanha.

"Tu não esperar que algo do género volte a acontecer", disse, citando a falta de educação como a causa do racismo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.