O presidente do Belenenses, Patrick Morais de Carvalho, expressou orgulho pela celebração do centenário do clube lisboeta e reforçou a importância de alcançar esta data com bom equilíbrio financeiro e sustentabilidade para o futuro.

“É uma data muito importante, não são muitas as instituições em Portugal que atingem 100 anos de vida e com saúde. Chegamos aos 100 anos equilibrados financeiramente, com sustentabilidade para o futuro e com a massa associativa mais unida do que nunca. É um motivo de orgulho para todos os belenenses”, afirmou.

Em declarações à Lusa, Patrick Morais de Carvalho desvalorizou o facto de ser o presidente do Belenenses na altura do centenário do clube e, embora confesse ser difícil de prever, acredita que o clube se manterá bem vivo durante, pelo menos, mais 100 anos.

“Ser o presidente nesta data é indiferente. Era importante que o presidente no Centenário fosse alguém que sentisse o clube, com espírito de missão e resiliente, penso que reúno essas condições. Um clube que chega aos 100 anos com esta vitalidade, com 4.000 atletas, pode acreditar que vai viver mais 100 anos”, sublinhou.

O presidente da formação da ‘Cruz de Cristo’ colocou o Belenenses como uma das quatro maiores instituições do desporto português e considera que o clube ao qual preside é “o mais rico” do país.

“O Belenenses continua a ser um dos quatro ‘grandes’, não só no futebol, mas em todo o desporto nacional. É o clube mais rico de Portugal, tem todas as mais altas condecorações do Estado português. O Belenenses nasceu num banco de jardim e foi sabendo resistir ao longo destas décadas, muito resiliente, tendo sido várias vezes prejudicado”, avaliou.

Patrick Morais de Carvalho recordou os grandes momentos do Belenenses ao longo da sua história, que teve o apogeu na conquista do campeonato nacional na temporada 1945/46.

“Há momentos extraordinários do Belenenses. Desde logo, termos tido o Estádio das Salésias, que foi o primeiro estádio em Portugal com relva, bancadas, pista de atletismo e iluminação artificial. O Campeonato Nacional é, talvez, o ponto mais alto da história do clube. Mas também os Campeonatos de Portugal, a vitória nas três Taças de Portugal, títulos em praticamente todas as modalidades”, enumerou.

O presidente do clube do Restelo lembrou também todos os momentos que pôde vivenciar, após a fase de maior fulgor futebolístico do clube.

“Os momentos mais marcantes que vivi são a vitória na Taça de Portugal, em 1990, e a final que perdemos com o Sporting, em 2007, pois, apesar da derrota, foi um dia extraordinário. Também me recordo de participações nas competições europeias, nomeadamente os jogos com FC Barcelona e Bayern Munique”, contou.

O Belenenses, fundado em 23 de setembro de 1919, comemora 100 anos de existência na segunda-feira, numa data assinalada por cerimónias religiosas e homenagens a grandes figuras do clube, como Pepe, Matateu, Vicente Lucas e o plantel campeão nacional de futebol, em 1945/46.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.