Está aberto um novo capítulo na 'guerra' entre o Clube de Futebol Os Belenenses e a Belenenses SAD. A equipa de Sub-15 da SAD do Belenenses tem um jogo agendado para esta tarde contra a Escola de Futebol do Belenenses nas Salésias e o clube já fez saber que não deixará entrar o adversário.

Em comunicado publicado nas redes sociais do clube, o Belenenses Clube escreve que "a SAD não pode participar em competições de futebol de formação, uma vez que os seus estatutos categoricamente não o permitem, e sendo igualmente certo que a sociedade viola de forma deliberada uma sentença judicial decretada por um Tribunal da República, não pode o Clube de Futebol 'Os Belenenses' disponibilizar o Campo das Salésias para que sirva de palco a mais uma violação flagrante das regras jurídicas e em especial de uma sentença judicial".

Sendo assim, "o Clube de Futebol 'Os Belenenses' informa os seus associados e adeptos, as instituições responsáveis pelas competições bem como todo o país desportivo que, nestas condições, não disponibilizará o Campo das Salésias ou qualquer outro recinto desportivo sob sua gestão e que tomará, em todas as instâncias que julgar apropriadas, as medidas necessárias a fazer cessar mais uma face irregular desta sociedade desportiva".

Para Rui Pedro Soares, este comunicado da SAD é um incitamento ao ódio: "Vamos fazer participação contra o presidente do clube. Pela primeira vez na história do futebol de formação - e estamos a falar de miúdos - há um presidente a incitar ao ódio. A responsabilidade do que acontecer será do Dr. Patrick Morais de Carvalho", disse o líder da SAD em declarações reproduzidas por ABola.

"Patrick Morais de Carvalho é contra o futebol moderno, é pelo futebol do ódio, da violência. Esse tempo já acabou há muito. É um líder que joga para ser campeão amador. Em 2018...", terminou.

Na base da decisão do clube está uma ordem do Tribunal que proíbe a SAD de utilizar o nome e qualquer símbolo do Belenenses. Apesar da decisão, a SAD tem vindo a utilizar o nome Belenenses, algo que viola o que foi determinado pelo Tribunal. A Liga, a FPF e o Governo estão a par da decisão mas, até agora, não tomaram qualquer decisão.

"Existe uma sentença do tribunal que é violada de 15 em 15 dias no Estádio Nacional. É sinal de que o governo está a compactuar com uma ilegalidade. Por isso, não vamos ceder o campo das Salésias", disse Patrick Morais de Carvalho ao jornal OJogo.

Outro ponto da 'guerra' entre clube e SAD do Belenenses prende-se com o estado lastimável do relvado do Estádio do Jamor, onde joga a Belenenses SAD. No derradeiro jogo da I Liga que terminou 2-2 frente ao Tondela, o relvado do Jamor parecia mais um batatal que um campo de futebol. Rui Pedro Soares acusa a empresa de tratamento do relvado de incompetência embora não descarte a opção sabotagem. É que, diz, a empresa responsável pelo tratamento do relvado do Jamor é de um vice-presidente do Clube de Futebol Os Belenenses.

"No mínimo, houve incompetência. Sabotagem? Não levantarei suspeitas, mas se essa for a conclusão, e estamos a estudar tudo o que aconteceu numa semana em que se sabia que choveria muito, que havia gelo no relvado, então é processo-crime! O que garanto é que, até ao fim da Liga, jogaremos com um muito bom relvado seja onde for. E será num relvado tratado por uma empresa tecnicamente credenciada, detida por profissionais idóneos, onde os jogadores possam apresentar o futebol que a equipa merece e que os adeptos gostam", comentou o líder da SAD ao jornal OJogo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.