A primeira edição do prémio Palancas Negras em futebol, a decorrer sábado, no Centro de Conferências de Belas, não contará com antigas estrelas do futebol mundial, como previsto inicialmente.

O facto foi dado a conhecer esta sexta-feira, pelo vice -presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Dedaldino Balombo, quando falava em conferência de imprensa do evento, tendo dito que a ausência de figuras do futebol mundial, como do presidente da FIFA ,Gianni Infantino, dos antigos futebolistas Diego Maradona, Luís Figo e Ronaldo Fenómeno deve-se à agenda dos mesmos que não é compatível com a data que a mesma irá acontecer.

“Todas essas personalidades que havíamos anunciado receberam os seus convites, sendo que maior parte agradeceu, mas o momento não era propício", referiu.

Por seu turno, Daniel Mendes, membro da organização, confirmou a presença de seis entidades do futebol, nomeadamente um representante da FIFA, um dos vice-presidentes da CAF, bem como os presidentes das federações de futebol da Etiópia, Guiné-Bissau, Congo, Africa do Sul bem como o diretor para África da marca de equipamentos desportivos Puma.

O prémio envolve 13 categorias e tem como objetivo distinguir agentes e instituições desportivas que se destacaram ao longo da época 2017.

Entre as categorias em votação destaque para equipa ideal, treinador do ano, dirigente do ano, melhor árbitro, jogador do ano, atleta na diáspora, melhor escola de futebol e melhor claque.

Vinte cinco entidades que se destacaram ao serviço do futebol nacional de 1975 a 1985 vão ser homenageadas na referida gala.

Preside o corpo de jurado Manecas Leitão, antigo guarda-redes da seleção nacional de futebol, hoje comentarista desportivo da Televisão Pública de Angola (TPA) e da Rádio Luanda Antena Comercial.

Completam o corpo de jurados António Alegre (treinador e comentador desportivo) e os jornalistas Zurema Rodrigues (TPA) e Carlos Pacavira (Rádio 5).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.