A Windingo Gaming estreou-se na arena do MOCHE XL ESPORTS, uma equipa búlgara que está no TOP 20 do ranking de Counter-Strike: Global Operations. Pela frente apanhou a vencedora da primeira partida internacional do evento, a equipa russa Virtus.Pro que venceu a germânica BIG no sábado. É o primeiro embate das meias-finais do torneio internacional que tem como prize pool um valor de 75.000 dólares. De notar que a equipa portuguesa Offset ficou de fora depois de uma partida intensa contra a GamerLegion, que terá a segunda meia-final esta tarde de domingo.

Neste embate, a Virtus.Pro fez como primeiro pick o mapa Nuke, enquanto a Windigo optou pelo Inferno, ficando o Mirage para o terceiro jogo de desempate. A equipa russa alinhou com Vegi, Snatchie, Michu, Snax e Okoliciouz, enquanto que a adversária Windigo colocou no mapa Shipz, Bubble, Poizon, Blocker e V1c7or.

A equipa Windigo entrou com tudo na partida, vencendo a primeira ronda de pistolas, mantendo o dedo no gatilho nas duas rondas seguintes, “como mandam as regras”. A Virtus voltou ao jogo na quarta ronda, depois de ter amealhado o suficiente para se equiparem e empataram a partida a três pontos. O jogo crescia de tensão e as primeiras “balas” eficazes demonstram que os jogadores já estavam aquecidos, e Vegi começava-se a destacar, alterando o marcador para o lado da sua equipa. A primeira parte do mapa demonstrou um grande equilíbrio entre as equipas, cada uma a saltar para a frente do marcador, mas no final das 15 rondas a Virtus.Pro ficaria à frente pela margem mínima de 8-7.

A segunda ronda de pistols do mapa voltou a cair para a Windigo, que não só restabeleceu o empate, como fez “papel químico” do início da partida e registou mais seis pontos, para 8-14. As coisas começavam a ficar complicadas para a Virtus.Pro, sobretudo a jogar no mapa do seu pick. A equipa russa conseguiria reduzir para 10-14, procurando reduzir a riqueza acumulada dos Windigo nas rondas anteriores. A Virtus iria conceder o match point à adversária depois de uma ronda em que eliminou toda a equipa, mas não conseguiu anular a bomba entretanto armada, por um décimo de segundo. Ainda assim, foi adiando a derrota, registando 13-15 e obrigando a Windigo às pistolas. O Overtime ainda era possível nesta fase, na teoria. A Virtus continuaria com o dedo no gatilho e conseguiria recuperar, empatar a partida a 15-15, e levar o jogo para prolongamento.

O overtime só se viu a equipa russa a pontuar, puxando para os 18-5, alcançando o match point depois de mais uma ronda emocionante de bomba. E marcou de seguida vencendo o mapa que escolheu.

O segundo mapa teve lugar no mapa Overpass, escolhido pela Windigo, que arrancou bem na ronda de pistols, massacrando as nas primeiras 10 rondas, fixando o resultado em 9-1. Só de seguida houve resposta da Virtus.Pro, que voltou às compras e reduziu para 9-4. O resultado da primeira metade do mapa foi de 10-5.

A Windigo mostrou em todos os momentos superioridade com as pistolas, arrancando esta primeira importante ronda, dilatando nas seguintes para 12-5. A equipa estava decidida em levar a partida para o terceiro mapa de desempate. Os russos começavam a acordar, com algumas balas certeiras e eficazes, diminuindo o resultado para 12-10. A Windigo somou mais duas rondas, aproximando-se rapidamente do break even, mas a Virtus queria evitar o terceiro jogo, mantendo a pressão, reduzindo para 14-12.

Por três vezes durante o encontro foram registadas vitórias inesperadas, ao último segundo, com a difusão da bomba, e num misto de uma jogada incrível de 2-1, a Virtus conseguiu aguentar-se o suficiente para garantir que os adversários explodissem, vendo o placard arcar 14-13, com a equipa toda estendida no chão. O empate chegou logo de seguida 14-14, dando esperança à equipa russa de arrumar o jogo no segundo mapa. E a vantagem monetária estava do seu lado, pois tinha dinheiro para se equipar nas duas rondas seguintes, enquanto a Windigo teria de dar o “tudo ou nada” para alcançar pelo menos o overtime do mapa. E conseguiu mesmo pontuar nas duas rondas seguintes, vencendo o mapa por 16-14, levando o encontro para o Mirage.

O derradeiro mapa deu, como já é tradicional na partida, a ronda de pistolas aos Windigo, somando 5-1 nos primeiros embates. Apesar dos russos terem reduzido para 5-2, a formação búlgara continuou a pressionar, dilatando rapidamente para 10-2. Os jogadores davam mostras de cansaço numa batalha que se estendia por 3:30. Sem grandes soluções da equipa russa, a Windigo foi amealhando mais vitórias, dilatando para 12-03, fechando a primeira parte do mapa.

A nova ronda de pistolas deu pela primeira vez à Virtus a vantagem monetária, reduzindo para 12-4, mas a equipa teria de trabalhar muito para tentar recuperar, o que não seria impossível, olhando para a performance da equipa durante o encontro. A Windigo disse que não e lançou-se para a vitória, marcando 16-5, garantindo a equipa de V1c7or na grande final.

A Windigo tem pouco menos de quatro horas para descansar, antes de jogar a final do MOCHE XL ESPORTS.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.