A estratégia e a emoção do jogo de CS:GO têm mantido a plateia do palco principal do Altice Arena sempre animada durante os dois dias do Moche XL Esports, e os fãs torcem pelas equipas favoritas, com aplausos, gritos de apoio e cartazes. Ontem gritou-se "Portugal, Portugal" antes do jogo dos Offset com os Gamerlegion, mas a equipa portuguesa acabou por cair face aos alemães e a fé passou para os Furia, que esta tarde está a defrontar os Gamerlegion, tentando chegar à final marcada para as 18h30 horas e jogar pelo prize money de 75 mil euros.

Os ecrãs gigantes e os comentários constantes ajudam a acompanhar o decorrer das partidas, com o fumo e as luzes a iluminar a ação que se passa nos mapas de CS:GO e os vários rounds. Os jogadores estão totalmente concentrados nos ecrãs e nem celebram as kills, até porque cada segundo conta.

Quem assiste sabe o que está a ver, mas há também muitos "iniciados" que procuram explicações dos amigos do lado para acompanhar a complexidade dos movimentos e da estratégia, enquanto outros se distraem nos telemóveis.

É um público sobretudo masculino, de todas as idades, mas há também raparigas envolvidas no jogo, enquanto outras vêm sobretudo para acompanhar, o que pode parecer um estereotipo gasto mas que marca bem a diferença de interesses entre os dois grupos.

Cumplicidade entre famílias

Fora do palco principal é onde se nota mais a presença de famílias, com crianças pequenas, pré adolescentes e adolescentes que querem experimentar os novos jogos, ver as equipas e youtubers que admiram e que seguem normalmente. Bernardo, de 13 anos, é um dos visitantes que já esteve no Moche XL Esports no ano passado e que é acompanhado por um amigo da mesma idade e pela mãe, que confessa gostar de saber o que o filho joga, e que por isso decidiu vir este domingo ao Altice Arena.

Nos espaços de free gaming há pais a jogar ao lado dos filhos, comando na mão e olhos no ecrã para mostrar as competências no gaming, mas quando toca a esperar em filas para jogar, como acontece no espaço da Blue e Gillete eSports os progenitores ficam normalmente fora da fila, mas sempre atentos e observadores.

Pedro Silveira: “Portugal já está no mapa do calendário internacional de Esports”
Pedro Silveira: “Portugal já está no mapa do calendário internacional de Esports”
Ver artigo

A cumplicidade é evidente e mostra que o gaming se tornou já um espaço de entretenimento para toda a família, mesmo nos jogos mais violentos como o Mortal Kombat 11. Carolina, mãe de dois pré-adolescentes muito embrenhados no jogo, observa de fora e admite que não é fã destes jogos mais sangrentos mas que acredita que os filhos não mudaram o comportamento desde que começaram a jogar.

Entre as habituais ofertas - de gelados a bolas de futebol do SAPO Desporto, passando por sacos e lenços do Moche - há também produtos para comprar. A FNAC e a PC Diga estão lado a lado a vender produtos e acessórios ligados ao gaming, mas há também peluches, bebidas e doces, t-shirts e bonés. E o negócio não parece correr mal pelo que alguns dos expositores adiantaram em conversa com o SAPO Desporto.

Agora é tempo de acompanhar a meia final de CS:GO entre os Furia e os GamerLegion, com os alemães a dominar. Às 18h30 começa a final e o SAPO Desporto vai estar lá a dar conta do embate e de quem ganha o ambicioso troféu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.