Benfica 1-0 V. Guimarães

29-04-2016 18:58

Jardel teve cabeça para abrir a rota da vitória

O golo de Jardel foi decisivo diante dos vimaranenses.
Jardel fez o golo do Benfica
Foto: Lusa

O central voltou a marcar

Por João Paulo Godinho sapodesporto@sapo.pt

O Benfica recebeu e venceu o Vitória de Guimarães, por 1-0, em jogo da 32ª jornada da Liga, com um golo decisivo de Jardel a fazer a diferença.

Num Estádio da Luz com mais de 60 mil pessoas nas bancadas, os encarnados voltaram a mostrar as mesmas dificuldades que tinham apresentado na partida com o Vitória de Setúbal, acabando por ganhar novamente com alguma dose de sofrimento e coração, face à falta de inspiração.

Com o onze habitual de início, a equipa de Rui Vitória enfrentava uma formação vimaranense que já não ganhava há 11 jogos e que queria por isso limpar a sua imagem. Porém, nem uma nem outra estiveram à altura no primeiro tempo.

Estes primeiros 45 minutos ficaram marcados pela escassez de ocasiões de golo. Os vimaranenses apenas ameaçavam Ederson de longe; já os encarnados apenas ameaçaram com uma tentativa de Mitroglou e outra de André Almeida. Muito pouco para o bicampeão obrigado a ganhar para manter a vantagem na Liga.

Paralelamente, a polémica rapidamente se instalou em torno da atuação do árbitro Bruno Paixão. Com efeito, a atuação dos vimaranenses foi alvo de vários cartões amarelos e o crescente nervosismo em campo e no banco de suplentes acabou por originar protestos que resultaram na expulsão do técnico Sérgio Conceição aos 36 minutos.

Assim, o nulo resistiu sem surpresa até ao intervalo, como prova maior da desinspiração geral no jogo desta 32ª jornada da Liga.

Contudo, o segundo tempo abriu praticamente com o golo do Benfica. Jardel, aos 47’, subiu mais alto do que toda a gente e respondeu de cabeça a um livre exemplar de Nico Gaitán. O central brasileiro já havia marcado frente aos sadinos no último jogo no reduto encarnado e hoje voltou a ser determinante.

O 1-0 no marcador não abateu o Vitória, antes pareceu ter acordado o conjunto minhoto. A formação de Sérgio Conceição subiu no terreno em busca do empate e esteve muito perto de o alcançar aos 67’, mas André Almeida foi providencial por duas vezes na mesma jogada, ao evitar o tento do empate com dois cortes decisivos.

O aviso estava dado e foi repetido aos 75’, desta feita por Hurtado, mas o jogador da equipa minhota permitiu a intervenção de Ederson, que evitou o pior. Os encarnados, que já estavam com Salvio e Raul em campo, despertaram e recuperaram o controlo do jogo para os instantes finais.

Aí, voltou a estar mais perto do golo, com Raul a atirar à barra e a fazer uma ‘rabona’ que quase levantava novamente a Luz. Salvio esteve igualmente perto do golo, mas o remate saiu ao lado. A reação encarnada quebrou o ímpeto minhoto e conseguiu assim segurar com mais competência a magra vantagem até ao apito final de Bruno Paixão.

Com este triunfo, os bicampeões passam a deter provisoriamente cinco pontos de vantagem sobre o Sporting, que joga este sábado o clássico com o FC Porto.

Conteúdo publicado por Sportinforma